Seja Bem Vindo(a)!!!!

Oi !

É bom sabermos que somos lembrados.
Portanto, quando aqui estiver expresse-se com o coração! Ele não falha!
Beijos de chocolate

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

Algumas coisas precisamos lembrar sempre... Como o abraço um abraço muito gostoso!!

sábado, 25 de agosto de 2007

Olá --- Vamos arregaçando as mangas.... Chega de moleza!


Espero poder encontra-las um pouco melhor, ou quem sabe.... MUUUUITO BEM! Vocês sabem que falo isso com conhecimento de causa.

E o que acontece é que ultimamente estou tendo contato com muitas fibromiálgicas, como eu, e pude perceber que uma grande maioria está em crise neste momento.
Não pode ser mera coincidência!

Que raios de doença é essa que Ataca quase ao mesmo tempo suas vítimas? Como pode ser isso?

Não estamos no inverno. Não estamos enfrentando momentos difíceis todas juntas, ou seja, um stress. O que acontece meu Deus????

Eu também tive meus maus bocados esta semana. Tive crise, mas houve uma causa que a desencadeasse. Assim pelo menos eu pensei.

Mas agora lendo os recados que algumas de vocês me escreveu... fiquei surpresa com minha triste conclusão.

O que é que tá acontecendo, gente????
Então somos muitas a "sentirmos a mesma coisa"!
Algo precisa ser feito!
URGENTEMENTE!!!!
Sabe, eu andei pesquisando e descobri que no Brasil não existe nenhuma Associação/Instituto de Assistência aos Fibromiálgicos, uma ONG sem fins lucrativos.

E sem essa entidade como lutar pelo reconhecimento, por parte do INSS, de nossa enfermidade????
Os médicos estão totalmente perdidos quanto a essa enfermidade e precisam de orientação, os tratamentos são caros e dispendiosos, falta de informação aos próprios pacientes ( claro! se nem mesmo os médicos têm, que dirá nós!), incluindo as famílias dos pacientes.
Não existe nada, efetivamente, que norteie de alguma maneira a todos os envolvidos.
Na minha pesquisa percebi que Portugal saiu na frente. Nossos patrícios têm lá uma Associação que informa tanto aos pacientes quanto os envolvidos direta e indiretamente sobre a doença, e aos familiares também.
Portanto, há muito a ser feito aqui no Brasil!
E se nós, os pacientes ( que já já seremos impacientes!) não arregassarmos as mangas e partirmos para luta, ninguém saberá de nossa existência e de nossas dificuldades.
Nem preciso lembrar que sozinha ninguém conseguirá nada.
A solução está na nossa união. Porque todas temos basicamente as mesmas necessidades.
Ou seja, não estaremos lutando por uma única causa... mas sim por uma causa em comum.

Precisamos lutar por um mínimo possível de qualidade de vida.

Estou aceitando ajuda(porque sozinha não conseguirei nada!), sugestões, orientações... seja o que for para que possamos dar início. Sair da idéia e chegar a realidade.

Precisamos nos ocupar conosco também, nossa qualidade de vida, nossa saúde - o bem mais precioso que temos.

Escrevam-me...

E se for possível divulguem ao maior número de pessoas possível... pois temos que ter em mente que a luta será dura.

Vamos precisar contar com apoio de políticos(!!!!), médicos (div. áreas), profissionais da área de saúde(enfermeiras, fisioterapeutas, terapeutas,...), advogados, de outras/os pacientes, etc... que possam nos ajudar nessa Associação.


Gente, tenham um Ótimo Fim de Semana... DESFRUTEM DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL!

Valorizem toda e qualquer conquista. Principalmente aquelas que dizem respeito á você.

Montões de beijos de chocolate

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Nem imaginava!







Você conhece os ideogramas?



Este é o ideograma que significa "Força".



Depois do que passei ontem... pensei que teria uma crise feia...



A tarde eu fiquei até sem voz...



O que para mim é a morte!



Mas hoje... está sendo um outro dia. Muito melhor.



Eu tenho encontrado energias positivas, que têm o poder de me trazer o conforto, a paz, de uma maneira inesperada.



Estas mesmas energias, têm me dado muita inspiração para diversas ações.



Não sei no que podem dar, mas não sou estática. Não sou de esperar a vida passar sem mim. Ah! Isso não! Ela vai eu tô atrás.



Ontem minha mãe tentou, pobrezinha, levantar meu moral dizendo palavras de conforto e carinho.



Aceitei o carinho. Mas o conforto naquele momento eu não queria. Queria era mesmo explodir. "Morder o trilho da FEPASA!" rsrsrsrs de tanta raiva.



Daí pensei e acabei fazendo... "Eu precisava curtir e digerir aquela raiva." Seria meu momento de luto. Claro, que como todo luto, ele não dura para sempre.



Não dei prazo ou tempo para ele. Deixei-o livre!



Hoje, acordei com um pouco de dores, mas tudo bem.



O dia era de sol, e estava lindo. Saí para resolver algumas coisas na rua. Voltei arrumei outras tantas aqui em casa.. Peguei meu artesanato para fazer, e por aí foi...



Ou seja, ocupei a mente; cantei, dancei, enquanto limpava ou arrumava, e deixei o dia passar. Afinal o luto foi ontem.



Daí eu descobri uma coisa..."A energia estava dentro de mim... ela não pode estar dentro de ninguém. Só eu sei como é a força que eu preciso. Eu descobri que temos, nós mulheres, um poder extraordinário de ressucitar.



Como conta a lenda da Fênix (ou Phoenix) nós acabamos de uma maneira ou outra ressurgindo das cinzas. Lindas, Maravilhosas e Necessárias.



Foi uma descoberta, pelo menos para mim... Maravilhosa.



Daí eu continuo a pensar: "Tenho o direito de cair, mas maior é meu dever de me levantar."



A mulher tem o poder de transformar dor em amor. É um dom divino.



Temos essa energia represada dentro de cada uma de nós.



Temos multi-funções, e desempenhamos cada uma com a peculiaridade que nos é própria.Acreditamos que nada ou ninguém nos substitui. Ninguém faz melhor! Ninguém pode entender como nós. E não entender também, claro!



Caramba, pensamos que somos imbatíveis, insubstituíveis, incompreendidas, eficientíssimas... E pior, acreditamos nisso tudo!



Mas o detalhe... é que ninguém faz nada igual a ninguém.



O que acontece e não percebemos é quede uma maneira ou outra a coisa é feita.

Daí concluimos que acabamos empregando energia em coisas tão banais, desnecessárias, e porquê não dizer fúteis!



Vai me dizer que você ainda não se pegou gritando com alguém porque a toalha molhada estava em cima da cama? O talher foi guardado no lugar errado, ou fora da ordem que você costuma colocar? E para você que mora sozinha, não se pegou lavando roupa para adiantar "o serviço", mas não porque era realmente necessário? Ou deixou de sair porque o filho não havia chegado no horário marcado? O marido esqueceu o aniversário da sogra?



E por aí vai...



Tamanho desgaste de energia desnecessáriamente!



Que quando precisamos de carga total, para nós mesmas, CADÊ?



Temos que aprender a guardar uma reserva razoável de energia. PRÁ NÓS!



Boa parte da energia que possuimos estamos desviando ou empregando no momento errado, na hora errada, na pessoa errada.



Você deve estar pensando... "Que louco é isso!"



Ou ainda..."Eu acho que emprego muito bem meu tempo e minha energia!" afirma de forma categórica.



Ah! Pense bem! Seja honesta com você mesma. Com certeza, você conseguirá detectar algumas falhas. Nenhum de nós é perfeito. Mas o poder de melhorar e aperfeiçoar depende do empenho que é empregado.



Pôxa, quando queremos somos fortes, decididas, enérgicas, habilidosas, sutís, extremamente responsáveis, eficientíssimas, organizadíssimas, ... Nem que seja em algo específico...mas não deixamos tais habilidades abandonadas ao léo!



Sem falar de algo muito importante também... Nosso lado mulher.. que não podemos e nem devemos deixar de lado.



Eu costumo dizer que "Toda mulher nasce com um kit. O kit mulher!" Cada uma deve aprender a usar o seu.



Eu mesma aprendendo a usar da melhor maneira o meu... Ele tém até acessório para longa distância! Hahahaha Acreditem se quiser.. Mas que tem, tem!



O kit que nos foi dado é completíssimo. Tem o necessário.



Mas se dispensamos ou disperdiçamos tempo e material com coisas erradas, ficamos no prejuízo.



A reposição dos itens desse kit é feita de maneira extremamente natural. Exatamente como recuperamos nossas energias, nossa auto-estima, nosso amor próprio, nosso orgulho, nossa fé. Deve ser muito bem tratado, pois se alguns dos itens não forem repostos ou recarregados a mulher não funcionárá direito. Simples assim.



Portanto, nós mulheres temos dons divinos, mas ficamos dia após dia na luta pela igualdade. Que na verdade confundiu-se com a guerra pela sobrevivência do dia a dia, que nada tem a ver com igualdade de sexos.



Aliás, eu particularmente, não aceito essa história de igualdade... mas vou deixar esse tema para outro dia.



Sou feminina, não abro mão disso!



Gosto da condição de mulher.



Apesar de tudo isso, eu posso ser Guerreira por Natureza!










quinta-feira, 23 de agosto de 2007

POR QUE COMPLICAMOS TUDO?


Hoje tive um dia muito chato e agitado.
Adivinhem!
Fui ao INSS fazer a perícia...
Muitas sabem o que é fazer isso. E se vc não sabe... nem queira saber!
É humilhante!
Tantas pessoas ali, a rogar por um mísero dinheirinho; ou ainda, no fatigante processo em busca de seus direitos.
E o pior é que pagamos antecipadamente por estes mesmos direitos.
E se você for até lá alegando só, (como se fosse pouco) a fibromialgia... nem olham para sua cara.
Eu fiz a cirurgia há 4 meses, e acreditem, o médico me disse que esse tipo de cirurgia daria no máximo 1 mês de afastamento.
Quase caí de costas. ((como se eu pudesse!!!!))
Daí ele resolveu me examinar... eu quase bati nele... instintivamente!
Ele, enquanto eu me dobrava (até meu limite) para frente, ele me empurrou para baixo. Eu o empurrei para longe de mim. E briguei com ele, pois havia feito um movimento que me é muito doloroso.
Não satisfeito, resolveu olhar mihas cicatrizes... Apertou muuuuito bem, cada uma delas. Foi outro empurrão! E outra reclamação que eu fiz!
Não satisfeito, ele me pede para deitar na maca. Minha coluna não faz rapidamente mudanças de movimentos, e o processo é doloroso. Ou seja, ao me deitar tenho que esperar um pouco para acomodar as vértebras a nova postura, que não é nada fácil!
Mas ele, acho que querendo mostrar serviço, e provar que eu estava querendo enganar alguém, levantou minha perna direita (justo a mais encurtadinha) num tranco só.
Sem dúvida eu gritei! E bem alto! E não pude conter as lágrimas. Doeu muuuuuito!
Daí o médico entrou em desespero!
Pedia desculpas a cada instante.
E eu repetia: "Eu te avisei que está doendo!"
Bom, ... ele deve ter me pedido desculpas umas quatro vezes ...
Eu só chorava! E ele, me pedia calma.
E tudo isso eu passei, apesar de ter lhe avisado que eu tenho fibromialgia... Mas sabe qual foi a reação dele?
Absolutamente nenhuma!
Foi como se eu não tivesse nada a ele.
No frigir dos ovos, ele me deu mais dois meses.
O detalhe é que essa é a segunda cirurgia, e para completar o próprio cirurgião me avisou que não poderia dar-me 100% de cura para minha coluna tendo em vista o quadro da fibro.
Mas, pelo que sei... os médicos têm ordens de não afastar e dar o maior número de altas possível.. Claro, assim diminuem as despesas do INSS com os escravos (ops... trabalhadores).
Mas onde está a força do trabalhador?
Onde está a tal galhardia do povo brasileiro?
Acho que já está na hora de sairmos dessa inércia mórbida e estúpida!
A simplicidade está também em fazermos descomplicar o que está complicado! Esclarecer o que não está esclarecido. Desvendar o que está oculto.
Simplicidade não está nos olhos vendados daqueles que não querem ver ou buscar a verdade.
Tá na hora DE ARREGAÇARMOS AS MANGAS E PARTIRMOS PARA UMA LUTA, UM TRABALHO EM CONJUNTO PELO RECONHECIMENTO DA FIBROMIALGIA NO BRASIL!
Estou a partir de agora aceitando sugestões, colaborações, apoio .
A princípio acredito que o ideal é formarmos uma Associação.
A "Associação Brasileira de Apoio aos Pacientes com Fibromialgia - ABRAPAFIBRO".
Se vc tiver outra sugestão, envie... discutiremos tudo num forum.
Temos que começar, e logo!
Então, ajude-me a simplificar o que está tão complicado para todas nós!
Mais uma vez a vida me dá mais uma a lição; de SUPERAÇÃO!

segunda-feira, 20 de agosto de 2007


APRENDER

Aprender, ver em profundidade, aprofundar, experimentar, aprender com a experiência, adquirir experiência.

Hoje acordei com um pouco de dores nas pernas.
É aquela sensação de uma gripe muito forte, e que os músculos ficam extremamente dolorosos.
Até o toque na pele, algo tão bom normalmente, é algo tão doloroso.
Daí, a princípio, tenho raiva.
E é muita raiva. Raiva de me sentir assim.
Sinto-me como um rio, que lhe impedem de correr livremente seu caminho.
Tenho e quero muito fazer tantas coisas. Mas tantas!
E sentir-me assim, como que amarrada, impedida, atada.
Poxa, tenho o livre arbítrio, sou dona da minha vida, e de repente meu corpo não quer me acompanhar? Que coisa louca é essa?
Ah! É a fibromialgia dando o ar da graça, claro!
Humm não é bem assim não!
É bom que se diga que tenho me superado e superado as expectativas ultimamente. É bom também, que se lembre que ainda estou em recuperação de uma cirurgia de implante de pinos – artrodese – na coluna lombar. E essa é a segunda cirurgia que faço no mesmo local. Mas e daí, né?!
Muitos diriam que eu teria isso, teria aquilo, e aquilo mais. Alguns até disseram que eu não fizesse a cirurgia – e eram médicos.
Mas eu fiz!
Tenho hoje 3 pinos implantados, os tais “cages” para união de três vértebras.
Tudo bem! E foi tudo bem! Porque eu tinha muita confiança na competência do meu médico; porque eu quero e queria também muito melhorar minha qualidade de vida, nem que para isso eu tivesse que me dedicar integralmente. E acima de tudo, minha fé e confiança em Deus! Afinal Ele não colocaria em meu caminho um médico como esse só para que eu soubesse da existência dele!
Afinal, se eu não estiver bem como poderia ajudar, ou conviver bem com qualquer pessoa?
Se quero ter auto-confiança, superação, desejo, força, empenho, não conseguiria fazê-lo se estiver me sentindo pela metade. Tenho e quero me sentir inteira e completa!
Uma satisfação pessoal plena! De vitória de superação!
E essas dores infernizam meus pensamentos!
Tomo medicamentos para um alívio!
Nada muito forte... afinal penso que tenho que fazer meu cérebro buscar onde quer que seja, a minha endorfina. Ela poderá aliviar minha dor.
Onde poderia encontrá-la?
Já me disseram que existe uma capacidade no cérebro chamada de plasticidade*.
(*As alterações celulares cerebrais resultantes do aprendizado e memória são chamadas de plasticidade. 1. Marian Cleeves Diamond - The Brain. Use It or Lose It - Mindshift Connection (vol. 1, no.1), Dee Dickinson (ed.). Zephyr Press publication.)
Não fico pensando nisso! Simplesmente estou buscando maneiras de não ficar pensando nisso o tempo todo.
Agora, resolvi escrever o que estou sentindo. E isso eu devo a uma nova amiga, a Cris, por me incentivar a escrever e escrever e escrever. Cris, obrigada!
E sabe... Enquanto relato o que senti, como me sinto, e o que faço, percebo que onde já encontrei onde está minha endorfina.
Aqui!!...
Simples assim!
E mais ainda... Percebi que tenho mais vontade que imaginava.
Sabe o ideograma no início deste texto?
Enquanto eu procurava nos meus arquivos a figura que eu colocaria no início deste texto, eu dei de cara com ele.
Interessante, não?!
Pois ele significa Aprender!
Agora, refletindo melhor vejo que estou aprendendo muito mais que eu poderia imaginar. Sou mais forte que eu mesma diria.
Eu estou superando essa fase, e saí na vantagem. Porque saí aprendendo mais algumas coisas.
Aprendi que posso ter tudo que quero, e basta descobrir o caminho, porque vontade e empenho eu tenho.
As dores são apenas um teste, talvez.
Talvez sejam para que eu descubra como vencer os obstáculos que possam surgir em minha vida. Sem dúvida, que obstáculos, não????
Não quero sofrer para aprender! E acredito que ninguém queira!
Então, por que tem que ser assim?
Eu ainda não sei!
Quem me dera saber, porque seria mais fácil compreender tudo que passo. E acho que seria para todos também.
Mas, se eu tudo soubesse, onde estaria a graça do inusitado, do esforço, da aprendizagem, das loucuras, das surpresas, da busca, do auto-conhecimento, e tantas outras coisas???
Ah! E eu que tanto adoro surpresas?
E tanto que amo aprender?
Como seria?
Não consigo imaginar.
Não consigo imaginar viver de forma tão diferente.
As dores estão melhorando, que bom!
Eu passo a acreditar que tais “sufocos” (não quero chamar de sofrimento, porquê sofrimento foi o que Jesus passou na cruz. Eu não passo ou passei nem metade. Indigno pensar assim!) são maneiras de aprendermos a dar uma freada no dia a dia. E sabe por quê?
Pois só assim, eu pelo menos, aprenderia a perceber mais, sentir mais, ouvir mais...
Estava num ritmo frenético!
Aprenderia a aprender.
Estou aprendendo muito, sem dúvida.
Pessoas que cruzam meu caminho, outras que cruzaram e por vontade própria dela saíram também muito me ensinaram.
Pode doer às vezes, mas a dor significa que estou viva que sinto alguma coisa.
Mas penso também que meu corpo reclama atenção!
Então, penso que é chegada à hora de prestar mais atenção em mim, em meu corpo. Mas com outros olhos!!!
Com olhos livres de amarras, pré-conceitos, auto piedade, ou mesmo esperando que outros o façam por mim...ah! piada!!!!
Mas com amor, com vontade, com honestidade comigo mesma, com auto crítica. Não é possível manter a mentira por muito tempo para mim mesma.
Sabe o ditado popular: “O pior cego é aquele que não quer enxergar!”
Respiro fundo!
As dores estão bem melhor agora.
Entendo que é a hora da saída estratégica... de mim mesma.
Fazer uma auto crítica, uma auto análise, e também de descansar, de relaxar a mente.
Problemas todos temos... Encontrar a solução, é a missão.
E para isso requer o desejo, o empenho, de minha força interna.
Se mesmo no trabalho, muitas vezes respiramos fundo para encontrar soluções aos diversos problemas do dia a dia, porque não damos a mesma importância aos nossos.
Aos nossos sim! Porque acredito que o corpo reclama a desatenção dada a ele inúmeras vezes. Nem percebemos que respiramos!!!!.... fica tudo no sistema automático, autômato!
Ah! E esperamos que as pessoas nos dêem a atenção que queremos, e é porque acreditamos que somos dignos dela.
Ah! E quando foi a última vez que pensei em mim??... Não de maneira consumista, ou egoísta. Não!!!! Mas sim de perceber se estou respirando errado (é, é verdade! Muitos respiram de maneira errada), perceber se meus músculos estão rígidos ou não, reparar naquele arranhão na perna que nem sei como ele surgiu... E assim levava o dia a dia... Tudo ligado no automático!
E de repente, na estrada da vida, o carro(eu!) dá uma brusca freada.
Pelo menos comigo foi assim!
Parei com tudo, fui obrigada a dar atenção ao meu corpo.
Minha mente assustou-se a princípio.
Perdi muitas coisas! Muitas mesmo!
E hoje ainda dói lembrar disso, mas de maneira diferente.
Outras tantas eu já conquistei também. E sem dúvida elas têm um peso muito maior e são muito mais importantes.
Preservo muito minha liberdade. De maneira saudável! Sem neuras!
Entendi que tenho limites tanto quanto qualquer ser humano normal.
Não nasci com super poderes.
Não sou nenhuma extra terrestre.
O poder de decisão, para muitas questões, não está ou estará em minhas mãos.
É, começou assim minha lição.
Aprendi que tenho que aprender a ter paciência.
Aprendi que tenho que aprender a não ser tão ansiosa.
Aprendi que tenho que aprender a ouvir-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a sentir-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a ser mais eu mesma.
Aprendi que tenho que aprender a respeitar-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a amar o que sou.
Aprendi que tenho que aprender a entender o que sou.
Aprendi que tenho que aprender a não esperar nada de ninguém.
Aprendi que tenho que aprender a querer com mais empenho.
Aprendi que tenho que aprender a entender que não sou perfeita.
Aprendi que tenho que aprender a pedir ajuda.
Aprendi que tenho que aprender a r e l a x a r.
Aprendi que tenho que aprender a encontrar a serenidade.
Aprendi que tenho que aprender a encontrar a paz em mim mesma.
Aprendi que tenho que aprender a V I V E R!
Assim aprendi que sou normal!
Já sei de muita coisa, nossa! rsrsrs
Percebo agora que as amarras que eu sentia, eu mesma as tinha colocado.
Estou ainda com algumas, sem dúvida!
Só que agora que eu descobri isso, o meu trabalho de retirá-las ficará um pouco mais fácil.
Ah! Agora minhas águas correm mais soltas, não estão represadas mais.
Aos poucos (com paciência e serenidade que aprenderei a ter) minhas águas não mais serão tão agitadas.
E para isso eu pedirei ajuda!
Farei tudo isso sim, porque quero muito VIVER para APRENDER!

“Viver requer coragem então, viva para ser feliz e não viva em vão!” (Chorão)

domingo, 19 de agosto de 2007

O quanto você "quer"? De verdade?


Verbo "Querer"... Segundo o Aurélio.. " Ter intenção ou a vontade de: tencionar; projetar; procurar adquirir, procurar adquirir, ordenar, exigir, desejar..."
Pois então, será que você já se percebeu, já analisou os teus atos de "querer"?
Se você quer algo, seja lá o quer for... o mais absurdo que possa parecer aos olhos alheios... e que lhe é acessível financeiramente,ou simplesmente não tem nada a ver com questões financeiras, você sem dúvida, encontrará maneiras e maneiras de comprar, de fazer.
Daí eu pergunto ... Existiu uma motivação?
Sem dúvida, todos encontraremos um número infinito de motivos para justificar. Num piscar de olhos.
Eu mesma já me peguei fazendo isso!
E as vezes os motivos eram tão fúteis, tão banais... mas para mim naquele momento era "algo" que eu precisava.
Era como que para suprir a falta de algo inacessíve, ou simplesmente algo pelo qual eo meu desejo de lutar por ele não era tão grande... por ser difícil.
Então, daí os kiliquinhos a mais, os problemas financeiros, as possíveis dores de cabeça... um número incrível de problemas decorrentes.
Que eu deduzi?
Deduzi que essa tal palavrinha de tão poucas letrinhas tinha um poder incalculável, desmedido, incomensurável!
QUERER! Sao só seis letrinhas que tem o força de nos levar onde quer que QUEIRAMOS ir, chegar, sair, ... e todos os verbos que se possa conhecer que indiquem ação!
Diz o velho ditado que "Querer é poder!"
Eu, particularmente, não concordo com essa afirmativa.
Mesmo porque poder indica "a possibilidade de..., ter a possibilidade ter fora, robustez, aguentar..."
Percebo que o Querer é muito mais que poder!
Passei a me perguntar o quanto eu queria ou quero algumas coisas.
O que estaria disposta a fazer, realmente, para conquistar o que eu quero!
Portanto, só pude concluir que... para querer algo, com muita força, tínhamos antes que saber qual é o tamanho dessa força, que proporções ela tem!
O quanto estamos dispostos a investir nessa força.
Para então saber o quanto meu querer é de fato "querer".
Concluindo, não basta só querer!
Temos é que estar dispostos a sair da inércia que nos afunda, nos sufoca, nos cega e nos anula muitas vezes. Principalmente quando estamos olhando para o próprio umbigo.
Assim, se quero algo tenho que antes estar disposta a fazer uma "mesa redonda comigo mesma", e descobrir o tamanho da minha vontade de alcançar, de conquistar o pretendido.
Chorar, lamentar, sofrer, aquietar-se, por vezes nos leva a um desgaste desnecessário; porque utilizamos nossas energias em sentimentos errados, tortos.
Guardamos sentimentos tão pesados que se retirados emagrecemos uns 10 quilinhos. Imagine a força que estavamos dispensando ao carregar tudo isso?
Melhor seria empregarmos tanta energia e força naquilo que realmente queremos porque nos é necessário. Quaisquer que sejam os motivos.
Sejamos sinceros... quantas vezes dizemos... "Eu quero..., mas eu não consigo porque...
Ao mesmo tempo que nos dispomos a empregar forças para a conquista, já nos justificamos pelo possível fracasso.
Então... a pergunta certa poderia ser... "O quanto queremos ...???
Porque é dessa resposta que se tem a verdadeira proporção do nosso querer.
Acho que o mais correto seria dizer...
"Querer é Se Empenhar!
Ocorreu um erro neste gadget