Seja Bem Vindo(a)!!!!

Oi !

É bom sabermos que somos lembrados.
Portanto, quando aqui estiver expresse-se com o coração! Ele não falha!
Beijos de chocolate

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

Algumas coisas precisamos lembrar sempre... Como o abraço um abraço muito gostoso!!

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

A MENTE, VOCÊ SABE TUDO SOBRE ELA?


MENTE HUMANA


O que vocês vão ler agora é um trecho retirado da Revista “Super Interessante” de 2002....

A mente humana grava e executa tudo que lhe é enviado, seja através de palavras, pensamentos ou atos, seus ou de terceiros, sejam positivos ou negativos, basta que você os aceite. Essa ação sempre acontecerá independente se trás ou não resultados positivos para você.
“Um cientista de Phoenix, Arizona queria provar essa teoria. Precisava de um voluntário que chegasse às últimas conseqüências. Conseguiu um em uma penitenciária. Era um condenado à morte que seria executado na penitenciária de St. Louis no estado de Missouri onde existe pena de morte executada em cadeira elétrica. Propôs a ele o seguinte? Ele participaria de uma experiência científica, na qual seria feito um pequeno corte em seu pulso, o suficiente para gotejar o seu sangue até a última gota final. Ele teria uma chance de sobreviver caso o sangue coagulasse. Se isso acontecesse, ele seria libertado, caso contrário, ele iria falecer pela perda do sangue, porém, teria uma morte sem sofrimento e sem dor.
O condenado aceitou, pois era preferível do que morrer na cadeira elétrica e ainda teria uma chance de sobreviver. O condenado foi colocado em uma cama alta, dessas de hospitais e amarram o seu corpo para que não se movesse. Fizeram um pequeno corte em seu pulso. Abaixo do pulso, foi colocada uma pequena vasilha de alumínio. Foi dito a ele que ouviria o gotejar de seu sangue na vasilha. O corte foi superficial e não atingiu nenhuma artéria ou veia, mas foi o suficiente para que ele sentisse que seu pulso fora cortado. Sem que ele soubesse, debaixo da cama tinha um frasco de soro com uma pequena válvula.
Ao cortarem o pulso, abriram a válvula do frasco para que ele acreditasse que era o sangue dele que está caindo na vasilha de alumínio. Na verdade, era o soro do frasco que gotejava. De 10 em 10 minutos, o cientista, sem que o condenado visse, fechava um pouco a válvula do frasco e o gotejamento diminuía.
O condenado acreditava que era seu sangue que estava diminuindo. Com o passar do tempo foi perdendo a cor e ficando cada vez mais pálido. Quando o cientista fechou por completo a válvula, o condenado teve uma parada cardíaca e faleceu, sem ter perdido sequer uma gota de sangue.
O cientista conseguiu provar que a mente humana cumpre ao pé da letra, tudo que lhe é enviado e aceito pelo hospedeiro, seja positivo ou negativo; e que sua ação envolve todo o organismo, quer seja na parte orgânica ou psíquica.”

Por Miriam B. Amarante – psicóloga: “Essa história é um alerta para filtrarmos o que enviamos para nossa mente, pois ela não distingue o real da fantasia, o certo do errado, simplesmente grava e cumpre o que lhe é enviado”
“Quem pensa em fracassar, já fracassou mesmo antes de tentar.”

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

UM SÁBADO DIFERENTE!!!




Advinhem onde é essa praia????
Não sabe?
É de SANTOS - Litoral de São Paulo!
É onde mora nossa amiga a Cris!
EU A CONHECI PESSOALMENTE!!!
Gente, fiquei sumida esse último fim de semana... Desculpem.. mas precisava dos ares marinhos, salísticos e areísticos... hehehehe e paquerísticos também! kkkkkkkkk
E como estava lá baixada, resolvi ir até Santos.. que diga-se de passagem é outra viagem.
Mas valeu a pena.. Eu conheci a Dª. Maria Cristina, nossa amiga!
Aliás se aqui estou é graças a ela!
Se não suportão ver o que escrevo, é graças a ela também....kkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas foi maravilhoso....
O mais lindo e emocionante foi vê-la bem! ao abrir a porta para nós. (eu estava com uma amiga, a Saly!)
A alegria tomou conta do ar. Dava pra sentir isso...
E ãnto a falar, a explicar, a contar.. Mas o tempo parece que estava contra nós. Passou como num piscar de olhos.
Ainda assim, foi tudo muito lindo.
Conheci um de seus filhos.
Mas a Cris, tem um mundo dentro de seus quinze metros quadrados. Tudo a seu alcance (ou quase!)
Era a felicidade estampada em seu rosto com nossa presença.
Nem ela e nem eu acreditávamos que aquilo estava acontecendo!
Sabe, parece que nos conhecíamos há muuuuito tempo! Não havia estranheza, ou intimidação da primeira visita.. foi tudo muito normal e natural.. Talvez esteja aí a beleza do encontro. Sem máscaras, só com o coração!!!
Se alguém quer saber como ela é fisicamente, (como se isso importasse!) eu direi aos mais curiosos... ELA É LINDAAAAA!!!!
Um sorriso que ilumina seu rosto, olhos brilhantes e atentos a tudo. Suas mãos buscavam tocar em tudo que estva a seu alcance. Foi muito lindo!
Espero que quem esteja lendo meu depoimento, aproveite a idéia e conheça as pessoas que vivem aí, pertinho de você!
Sabe sair da casca, ir ao encontro de pssoas que estão tão próximas... num piscar de olhos estão juntas a conversar sobre tudo,... (não lembrar só da FM! afinal não somos reféns dela!)
Sabe, tenho certeza que essa visita fez muito bem à Cris, e a mim.. não posso sequer encontrar palavras que possam descrever meu sentimento...
Como ela mesma diz... foi uma Feliz Deuscidência! nosso encontro aqui na telinha (plageando de novo)
Hoje posso entender muitas coisas que antes estavam mudas dentro de mim.. Falam, mas não com as palavras que o homem conhece... Essa linguagem é própria do coração, do sentimento!
Quisera que todos experimentassem isso!
Então fica aqui a idéia... Procure conhecer melhor as pessoas que estão a sua volta.
A Cris, pode com sua sensibilidade e persoasão me trouxe até aqui.
E o pior, é que tô gostando!
Sabe, nessa visita pude perceber o quanto é importante sentirmo-nos queridos, importantes, "acarinhados" por alguém que só conhecemos e mantemos uma relação virtual. Torna-la real é concretizar pensamentos, idéias!
É MUUUUUITO BOM!!!
Já até programamos de "sairmos pra balada" na próxima vez que eu fôr à Santos.
Santos! Prepare-se... Vamos sair pra abalar!!!! kkkkkk
Nem que seja o PS da Santa Casa... mas que vamos,.. ah, isso nós vamos!kkkkkkkkkkkkkkkk
Bom, mas nem tudo foi maravilhas..
Saimos tarde de sua casa, e esquecemos de perguntar o aminho de volta.. Mas como paulistana nata.. e cheia de marra (rsrsrsrs) achei que ia ser facinho facinho
Quiiiiiiiii.. rodamos e rodamos e rodamos... E advinhem onde fui parar?
Pois é! À meia noite e meia estávamos no cais do porto... no maior breu!
Eram caminhões pra tudo que é lado.. e a placa insistia em indicar o caminho para São Paulo como sendo seguir enfrente... E la vamos nós....
Gente eu não conseguia mais nem respirar... tamanho era meu medo... Uma p... tensão!
Minha amiga, para aliviar a tensão.. teve a coragem de comentar.. "Ah! Eu não conhecia o cais.. Agora eu conheço!" _0/\0_ só olhei pra ela! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
E comecei a rir..
Que? Dei meia volta.. e voltei todo o caminho percorrido... caramba.. por mais que a placa insistisse em indicar o caminho pra SP como sendo em frente.. nada aparecia.. e tudo ia ficando cada vez pior.. Um deserto, um breu.. e o pior... ninguém nas ruas... Havíamos passado por algumas ruas...onde percebemos que eram o loal de lazer/prazer dos marinheiros ( se é que me entendem!!! rsrsrsrs) E lá estávamos nós de volta na área! kkkkkkkkk
Não queríamos qualquer concorrência.. estávamos a ponto de abrir uma ocorrência.. de Perda! do que? de Nós! kkkkkk
Mas, depois de entra aqui, sai ali.. é contr-mão.. volta... vai mais um pouco.. chegamos no túnel.. Ih! É do outro lado.. Damos a volta.. e Ufa! conseguimos encontrar o caminho de volta.
Voltamos à Itanhaém! Isso já eram mais de uma e meia da manhã! Mas Graças a Deus chegamos vivas e como havíamos saido.. inteiras! kkkkkkkkk
Daí, como paulistanas pensamos em tomarmos uma bebidinha pra fechar a noite de sábado.
Mais uma "feliz" surpresa!
Todos os bares da cidade já estavam fechados!!!!! Irk!
Roda.. que roda.. que roda.,.. e nada! Nem pizzaria, nem buteco.. nada..
Acho que Deus se apiedou de nós.. e nos fez chegar a um lugarzinho pequeno mas aconchegante.
Começamos a pedir.. e logo vieram nos dizer que uma parte de nosso pedido não seria possível fazer porque já estavam fechando t a m b é m!
Ah! Quer saber.. o negócio foi ir dormir!!
Na manhã seguinte.. as dores vieram, mas tudo bem.. foi por uma Boa Causa.. Por prazer, Por Satisfação, Por Carinho, Por Amor...então.. que venham... eu fiz primeiro o que eu queria! Então eu venci!
Quando foi tudo isso? Foi Num sábado, dia 06 de Outubro de 2007.
Não vou esquecer esse dia!


NÃO PENSEI QUE PENSAR ERRADO FOSSE DAR TANTO TRABALHO


O nascimento da excelência: CRESÇA!
O autor de “Anatomy of na Illness (Anatomia de uma doença) – Norman Cousins - relata seu encontro com um famoso músico do séc. XX, Pablo Casals.
Conta que pouco antes de Casals completa seu nonagésimo aniversário, fora muito doloroso esse encontro.
Pela manhã viu naquele homem o retrato de fragilidade e do quanto a artrite o maltratava. Aquele enfisema que dificultava sua respiração. Andava arrastando seus pés, curvado, cabeça inclinada para frente. Suas mãos eram inchadas, seus dedos apertados. Sua imagem era de um homem velho, muito cansado.
Antes de comer, foi até o piano. Ajustou a banqueta com habilidade, e era impressionante o esforço que fazia para levar as mãos ao teclado. Eram tão inchados e cerrados seus dedos.
Porém, como por milagre Casals transformou-se ante aos olhos de Cousins.
Casals entrou visivelmente num estado cheio de recursos, e assim “sua fisiologia mudou a tal ponto que começou a mover-se, e a tocar, produzindo no seu corpo e no piano resultados que só teriam sido possíveis num pianista saudável, forte e flexível.”
Assim descreve Cousins:
“Os dedos abriram-se lentamente e acharam as teclas como os brotos de uma planta em direção à luz do sol. Suas costas endireitaram-se. Parecia respirar com mais facilidade.
...Seu corpo inteiro parecia fundido co a música.
... Não estava mais rijo e encolhido, mas ágil, gracioso e completamente livre de suas torceduras artríticas.”
Após afastar-se do piano, mantinha-se nesse estado, comendo e logo após saiu para dar um passeio pela praia.
O que é Crença?
Segundo Aurélio: ato ou efeito de crer, fé, convicção. Crer: acreditar, ter por certo, dar como verdadeiro, ter confiança, fé.
Segundo o autor “no sentido básico, é qualquer princípio orientador, máximas, fé ou paixão que pode proporcionar significado e direção na vida.”
Estímulos ilimitados estão disponíveis para nós.
Com você acontece o mesmo?
É muito louco perceber isso!
Será isso uma “mania de sofrer”?
Perguntarei a minha terapeuta.
Vou exercitar minha mente, relembrando experiências positivas, e remontar meu estado diante delas.
De momento, lembro de situações que eu estava num estado de êxtase (hummmm que êxtase!!!) e meu comportamento, realmente era muito diferente de meu estado anterior à essa experiência. Meu Deus!!!
Como pensar dá trabalho!

É como respirar errado, nos falta postura, boa oxigenação... Pensar é igual, pois nos leva a comportamentos que por vezes não refletem nosso verdadeiro “Eu”, nossa vontade, nosso objetivo maior.
Aliás, se pensarmos melhor um estado negativo nos faz desviar do objetivo maior, e nos leva a perder o foco. Pois representações internas que temos são contrárias as que buscamos.
Então, estarei eu fazendo com que meu cérebro funcione ou armazene representações internas que vão contra mim.
Estaria eu usando meu cérebro contra mim?
Ah! Isso eu não tinha “registrado” ainda.
Realmente eu estava deixando meus pensamentos no “Automático”. Não sabia que existem outras maneiras de dirigir meu cérebro.
E você, sabia?
Tenho que trocar as representações internas negativas por outras totalmente opostas. Que tenham o poder de mudar meu comportamento.
Segundo o autor: Há um fator que determina com antecipação como iremos representar nossa experiência da vida, um fator que filtra os modos de representação do mundo para nós mesmos; um fator que determina as espécies de estado consistentes que criaremos em certas situações. Tem sido chamado de “O maior poder”...
Percebi que sempre deixamos nosso cérebro no “automático”. Como autômato, independente; e pior, isolado do corpo.
Quem disse que não somos capazes de comandar o cérebro?
Vivemos e sabemos de casos nos quais somos por vezes induzidos a determinadas atitudes. Ou mesmo, ficamos com um medo enorme diante de situações que nos reportem à experiências negativas.
Buscamos estar em um melhor estado, através de atitudes já experimentadas, que nos levem a uma satisfação, a alegria, a paz. Porém, normalmente, são atitudes que trazem resultados não duradouros. Como por exemplo: ver tv, assistir a um filme, conversar com alguém.
Porém, quando finda a atividade continuamos com as sensações anteriores. Ou seja, continuam as mesmas representações internas de nossas vidas: as frustrações, a ansiedade, o aborrecimento.
Você é capaz de dizer por que essa representação interna continua?
Precisamos aprender a fazer essa mudança independentemente do meio externo.
Já ouvimos ou lemos que “toda mudança começa dentro de nós!”
O importante é lembrar que seu estado tem um poder admirável, e podemos lançar mão dele.
Reavaliando e repensando sobre isso, passo a ter uma nova visão sobre meu modo de pensar e “armazenar” minhas experiências. Percebi que ficam mais marcantes àquelas que me trouxeram algum tipo de dor, de ansiedade, de tristeza, de frustração, de mágoa.
Ou seja, dependendo do que penso retrata meu comportamento.
O que penso é incorporado por experiências anteriores.
A maioria das pessoas busca a mudança de estado. Porém percebo uma resistência à estudos, pensamentos, e até cientificamente falando .. das pessoas quando falamos do poder do pensamento, o poder do cérebro.
Se você está usando um calçado que está machucando seu pé, o que você faz?
Se você sente doer sua coluna, durante muito tempo, e nada que você faça ameniza essa dor; o que você faz?

Para ambas as perguntas a resposta, provavelmente, é buscar uma solução que o tire do estado de dor ou incômodo, certo? Tirando ou trocando o calçado. No segundo caso você poderá sair em busca de orientação profissional, o médico pro exemplo.
Deduzo então que para ambas as situações a postura de buscar/encontrar o alívio é correta e certeira.

Então, o que faz com que algumas pessoas pensem que nosso cérebro não necessite de tal atenção?

Não devemos nos preocupar só em casos em que a fisiologia sofra alguma alteração, mas sim escolher a melhor forma de alimentá-lo, de exercitá-lo, de retirar/excluir maus hábitos que acabam por comprometer suas funções. A exemplo a preocupação que temos com as gorduras para o coração.

Taí uma questão para se pensar. O que fazemos para melhorar as condições de funcionamento e “armazenagem” do nosso cérebro?
Ocorreu um erro neste gadget