Seja Bem Vindo(a)!!!!

Oi !

É bom sabermos que somos lembrados.
Portanto, quando aqui estiver expresse-se com o coração! Ele não falha!
Beijos de chocolate

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

Algumas coisas precisamos lembrar sempre... Como o abraço um abraço muito gostoso!!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007



NÃO PENSEI QUE PENSAR ERRADO FOSSE DAR TANTO TRABALHO


O nascimento da excelência: CRESÇA!
O autor de “Anatomy of na Illness (Anatomia de uma doença) – Norman Cousins - relata seu encontro com um famoso músico do séc. XX, Pablo Casals.
Conta que pouco antes de Casals completa seu nonagésimo aniversário, fora muito doloroso esse encontro.
Pela manhã viu naquele homem o retrato de fragilidade e do quanto a artrite o maltratava. Aquele enfisema que dificultava sua respiração. Andava arrastando seus pés, curvado, cabeça inclinada para frente. Suas mãos eram inchadas, seus dedos apertados. Sua imagem era de um homem velho, muito cansado.
Antes de comer, foi até o piano. Ajustou a banqueta com habilidade, e era impressionante o esforço que fazia para levar as mãos ao teclado. Eram tão inchados e cerrados seus dedos.
Porém, como por milagre Casals transformou-se ante aos olhos de Cousins.
Casals entrou visivelmente num estado cheio de recursos, e assim “sua fisiologia mudou a tal ponto que começou a mover-se, e a tocar, produzindo no seu corpo e no piano resultados que só teriam sido possíveis num pianista saudável, forte e flexível.”
Assim descreve Cousins:
“Os dedos abriram-se lentamente e acharam as teclas como os brotos de uma planta em direção à luz do sol. Suas costas endireitaram-se. Parecia respirar com mais facilidade.
...Seu corpo inteiro parecia fundido co a música.
... Não estava mais rijo e encolhido, mas ágil, gracioso e completamente livre de suas torceduras artríticas.”
Após afastar-se do piano, mantinha-se nesse estado, comendo e logo após saiu para dar um passeio pela praia.
O que é Crença?
Segundo Aurélio: ato ou efeito de crer, fé, convicção. Crer: acreditar, ter por certo, dar como verdadeiro, ter confiança, fé.
Segundo o autor “no sentido básico, é qualquer princípio orientador, máximas, fé ou paixão que pode proporcionar significado e direção na vida.”
Estímulos ilimitados estão disponíveis para nós.
Com você acontece o mesmo?
É muito louco perceber isso!
Será isso uma “mania de sofrer”?
Perguntarei a minha terapeuta.
Vou exercitar minha mente, relembrando experiências positivas, e remontar meu estado diante delas.
De momento, lembro de situações que eu estava num estado de êxtase (hummmm que êxtase!!!) e meu comportamento, realmente era muito diferente de meu estado anterior à essa experiência. Meu Deus!!!
Como pensar dá trabalho!

É como respirar errado, nos falta postura, boa oxigenação... Pensar é igual, pois nos leva a comportamentos que por vezes não refletem nosso verdadeiro “Eu”, nossa vontade, nosso objetivo maior.
Aliás, se pensarmos melhor um estado negativo nos faz desviar do objetivo maior, e nos leva a perder o foco. Pois representações internas que temos são contrárias as que buscamos.
Então, estarei eu fazendo com que meu cérebro funcione ou armazene representações internas que vão contra mim.
Estaria eu usando meu cérebro contra mim?
Ah! Isso eu não tinha “registrado” ainda.
Realmente eu estava deixando meus pensamentos no “Automático”. Não sabia que existem outras maneiras de dirigir meu cérebro.
E você, sabia?
Tenho que trocar as representações internas negativas por outras totalmente opostas. Que tenham o poder de mudar meu comportamento.
Segundo o autor: Há um fator que determina com antecipação como iremos representar nossa experiência da vida, um fator que filtra os modos de representação do mundo para nós mesmos; um fator que determina as espécies de estado consistentes que criaremos em certas situações. Tem sido chamado de “O maior poder”...
Percebi que sempre deixamos nosso cérebro no “automático”. Como autômato, independente; e pior, isolado do corpo.
Quem disse que não somos capazes de comandar o cérebro?
Vivemos e sabemos de casos nos quais somos por vezes induzidos a determinadas atitudes. Ou mesmo, ficamos com um medo enorme diante de situações que nos reportem à experiências negativas.
Buscamos estar em um melhor estado, através de atitudes já experimentadas, que nos levem a uma satisfação, a alegria, a paz. Porém, normalmente, são atitudes que trazem resultados não duradouros. Como por exemplo: ver tv, assistir a um filme, conversar com alguém.
Porém, quando finda a atividade continuamos com as sensações anteriores. Ou seja, continuam as mesmas representações internas de nossas vidas: as frustrações, a ansiedade, o aborrecimento.
Você é capaz de dizer por que essa representação interna continua?
Precisamos aprender a fazer essa mudança independentemente do meio externo.
Já ouvimos ou lemos que “toda mudança começa dentro de nós!”
O importante é lembrar que seu estado tem um poder admirável, e podemos lançar mão dele.
Reavaliando e repensando sobre isso, passo a ter uma nova visão sobre meu modo de pensar e “armazenar” minhas experiências. Percebi que ficam mais marcantes àquelas que me trouxeram algum tipo de dor, de ansiedade, de tristeza, de frustração, de mágoa.
Ou seja, dependendo do que penso retrata meu comportamento.
O que penso é incorporado por experiências anteriores.
A maioria das pessoas busca a mudança de estado. Porém percebo uma resistência à estudos, pensamentos, e até cientificamente falando .. das pessoas quando falamos do poder do pensamento, o poder do cérebro.
Se você está usando um calçado que está machucando seu pé, o que você faz?
Se você sente doer sua coluna, durante muito tempo, e nada que você faça ameniza essa dor; o que você faz?

Para ambas as perguntas a resposta, provavelmente, é buscar uma solução que o tire do estado de dor ou incômodo, certo? Tirando ou trocando o calçado. No segundo caso você poderá sair em busca de orientação profissional, o médico pro exemplo.
Deduzo então que para ambas as situações a postura de buscar/encontrar o alívio é correta e certeira.

Então, o que faz com que algumas pessoas pensem que nosso cérebro não necessite de tal atenção?

Não devemos nos preocupar só em casos em que a fisiologia sofra alguma alteração, mas sim escolher a melhor forma de alimentá-lo, de exercitá-lo, de retirar/excluir maus hábitos que acabam por comprometer suas funções. A exemplo a preocupação que temos com as gorduras para o coração.

Taí uma questão para se pensar. O que fazemos para melhorar as condições de funcionamento e “armazenagem” do nosso cérebro?

Um comentário:

Blog da Cris disse...

Dá trabalho pensar, certo ou errado, e enquanto lia esse artigo, me lembrei do pânico que sinto toda vez que preciso fazer algo que use minha energia, então realmente o pensamento pânico acaba ficando no automático, e se repetindo a todo momento, não tendo eu feito nada para mudar isso. As crenças, idéias pré-determinadas, pensamentos sempre contrários, negativos mesmo, não parando para pensar que poderia ser diferente, e o que fazer em relação a isso. Aí percebo que toda mudança inicia dentro de nós mesmo, e porque armazenar justamente as frustrações, as mágoas, porque dar importância justamente a palavras e ações que não nos trazem nada de bom. Implica então no comportamento, então não vou fazer o que gosto, porque as experiências que tive, guardei, e acabo acreditando que isso não vai mudar. Mas nada é imutável, sabemos disso, tudo se transforma, devemos então procurar uma maneira de pensar diferente para cada nova situação, não deixar o cérebro no automático.
Amiga, não é que a gente não para para pensar sobre isso? Incrível! Dá trabalho pensar, e pensar sobre como pensamos errados dá mais trabalho ainda, pois implica em mudanças, as mudanças mechem muito conosco, como mudar postura de buscar ou encontrar meios que aliviem tudo que nos incomoda. E não é que cuidados do corpo, e esquecemos sempre que o cérebro faz parte desse nosso corpo e que é poderoso. O que me chamou mais atenção foi "deixamos o cérebro no automático"! Amiga, adorei, me desdes trabalho de casa, ou seja, um dever a fazer urgentemente, já anotei no ítem "atividades", tá na hora, não? Adoro você, amiga, como consegues colocar coisas interessantes para nos acordar dessa lerdeza de rotinha, esperando que outros resolvam nossos problemas, ou carregem nosso peso, ou que encontrem drogas milagrosas, por que acreditar que o lítio e a serotonina podem fazer isso por nós? É ruim, heim! Te amo, continue postando, faça sempre isso primeiro que qualquer outra atividade, viu? Beijos lindos nos seu coração, te amo muito.........

Ocorreu um erro neste gadget