Seja Bem Vindo(a)!!!!

Oi !

É bom sabermos que somos lembrados.
Portanto, quando aqui estiver expresse-se com o coração! Ele não falha!
Beijos de chocolate

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

UM LUGAR AMIGO... PODE CHEGAR!!!!

Algumas coisas precisamos lembrar sempre... Como o abraço um abraço muito gostoso!!

segunda-feira, 20 de agosto de 2007


APRENDER

Aprender, ver em profundidade, aprofundar, experimentar, aprender com a experiência, adquirir experiência.

Hoje acordei com um pouco de dores nas pernas.
É aquela sensação de uma gripe muito forte, e que os músculos ficam extremamente dolorosos.
Até o toque na pele, algo tão bom normalmente, é algo tão doloroso.
Daí, a princípio, tenho raiva.
E é muita raiva. Raiva de me sentir assim.
Sinto-me como um rio, que lhe impedem de correr livremente seu caminho.
Tenho e quero muito fazer tantas coisas. Mas tantas!
E sentir-me assim, como que amarrada, impedida, atada.
Poxa, tenho o livre arbítrio, sou dona da minha vida, e de repente meu corpo não quer me acompanhar? Que coisa louca é essa?
Ah! É a fibromialgia dando o ar da graça, claro!
Humm não é bem assim não!
É bom que se diga que tenho me superado e superado as expectativas ultimamente. É bom também, que se lembre que ainda estou em recuperação de uma cirurgia de implante de pinos – artrodese – na coluna lombar. E essa é a segunda cirurgia que faço no mesmo local. Mas e daí, né?!
Muitos diriam que eu teria isso, teria aquilo, e aquilo mais. Alguns até disseram que eu não fizesse a cirurgia – e eram médicos.
Mas eu fiz!
Tenho hoje 3 pinos implantados, os tais “cages” para união de três vértebras.
Tudo bem! E foi tudo bem! Porque eu tinha muita confiança na competência do meu médico; porque eu quero e queria também muito melhorar minha qualidade de vida, nem que para isso eu tivesse que me dedicar integralmente. E acima de tudo, minha fé e confiança em Deus! Afinal Ele não colocaria em meu caminho um médico como esse só para que eu soubesse da existência dele!
Afinal, se eu não estiver bem como poderia ajudar, ou conviver bem com qualquer pessoa?
Se quero ter auto-confiança, superação, desejo, força, empenho, não conseguiria fazê-lo se estiver me sentindo pela metade. Tenho e quero me sentir inteira e completa!
Uma satisfação pessoal plena! De vitória de superação!
E essas dores infernizam meus pensamentos!
Tomo medicamentos para um alívio!
Nada muito forte... afinal penso que tenho que fazer meu cérebro buscar onde quer que seja, a minha endorfina. Ela poderá aliviar minha dor.
Onde poderia encontrá-la?
Já me disseram que existe uma capacidade no cérebro chamada de plasticidade*.
(*As alterações celulares cerebrais resultantes do aprendizado e memória são chamadas de plasticidade. 1. Marian Cleeves Diamond - The Brain. Use It or Lose It - Mindshift Connection (vol. 1, no.1), Dee Dickinson (ed.). Zephyr Press publication.)
Não fico pensando nisso! Simplesmente estou buscando maneiras de não ficar pensando nisso o tempo todo.
Agora, resolvi escrever o que estou sentindo. E isso eu devo a uma nova amiga, a Cris, por me incentivar a escrever e escrever e escrever. Cris, obrigada!
E sabe... Enquanto relato o que senti, como me sinto, e o que faço, percebo que onde já encontrei onde está minha endorfina.
Aqui!!...
Simples assim!
E mais ainda... Percebi que tenho mais vontade que imaginava.
Sabe o ideograma no início deste texto?
Enquanto eu procurava nos meus arquivos a figura que eu colocaria no início deste texto, eu dei de cara com ele.
Interessante, não?!
Pois ele significa Aprender!
Agora, refletindo melhor vejo que estou aprendendo muito mais que eu poderia imaginar. Sou mais forte que eu mesma diria.
Eu estou superando essa fase, e saí na vantagem. Porque saí aprendendo mais algumas coisas.
Aprendi que posso ter tudo que quero, e basta descobrir o caminho, porque vontade e empenho eu tenho.
As dores são apenas um teste, talvez.
Talvez sejam para que eu descubra como vencer os obstáculos que possam surgir em minha vida. Sem dúvida, que obstáculos, não????
Não quero sofrer para aprender! E acredito que ninguém queira!
Então, por que tem que ser assim?
Eu ainda não sei!
Quem me dera saber, porque seria mais fácil compreender tudo que passo. E acho que seria para todos também.
Mas, se eu tudo soubesse, onde estaria a graça do inusitado, do esforço, da aprendizagem, das loucuras, das surpresas, da busca, do auto-conhecimento, e tantas outras coisas???
Ah! E eu que tanto adoro surpresas?
E tanto que amo aprender?
Como seria?
Não consigo imaginar.
Não consigo imaginar viver de forma tão diferente.
As dores estão melhorando, que bom!
Eu passo a acreditar que tais “sufocos” (não quero chamar de sofrimento, porquê sofrimento foi o que Jesus passou na cruz. Eu não passo ou passei nem metade. Indigno pensar assim!) são maneiras de aprendermos a dar uma freada no dia a dia. E sabe por quê?
Pois só assim, eu pelo menos, aprenderia a perceber mais, sentir mais, ouvir mais...
Estava num ritmo frenético!
Aprenderia a aprender.
Estou aprendendo muito, sem dúvida.
Pessoas que cruzam meu caminho, outras que cruzaram e por vontade própria dela saíram também muito me ensinaram.
Pode doer às vezes, mas a dor significa que estou viva que sinto alguma coisa.
Mas penso também que meu corpo reclama atenção!
Então, penso que é chegada à hora de prestar mais atenção em mim, em meu corpo. Mas com outros olhos!!!
Com olhos livres de amarras, pré-conceitos, auto piedade, ou mesmo esperando que outros o façam por mim...ah! piada!!!!
Mas com amor, com vontade, com honestidade comigo mesma, com auto crítica. Não é possível manter a mentira por muito tempo para mim mesma.
Sabe o ditado popular: “O pior cego é aquele que não quer enxergar!”
Respiro fundo!
As dores estão bem melhor agora.
Entendo que é a hora da saída estratégica... de mim mesma.
Fazer uma auto crítica, uma auto análise, e também de descansar, de relaxar a mente.
Problemas todos temos... Encontrar a solução, é a missão.
E para isso requer o desejo, o empenho, de minha força interna.
Se mesmo no trabalho, muitas vezes respiramos fundo para encontrar soluções aos diversos problemas do dia a dia, porque não damos a mesma importância aos nossos.
Aos nossos sim! Porque acredito que o corpo reclama a desatenção dada a ele inúmeras vezes. Nem percebemos que respiramos!!!!.... fica tudo no sistema automático, autômato!
Ah! E esperamos que as pessoas nos dêem a atenção que queremos, e é porque acreditamos que somos dignos dela.
Ah! E quando foi a última vez que pensei em mim??... Não de maneira consumista, ou egoísta. Não!!!! Mas sim de perceber se estou respirando errado (é, é verdade! Muitos respiram de maneira errada), perceber se meus músculos estão rígidos ou não, reparar naquele arranhão na perna que nem sei como ele surgiu... E assim levava o dia a dia... Tudo ligado no automático!
E de repente, na estrada da vida, o carro(eu!) dá uma brusca freada.
Pelo menos comigo foi assim!
Parei com tudo, fui obrigada a dar atenção ao meu corpo.
Minha mente assustou-se a princípio.
Perdi muitas coisas! Muitas mesmo!
E hoje ainda dói lembrar disso, mas de maneira diferente.
Outras tantas eu já conquistei também. E sem dúvida elas têm um peso muito maior e são muito mais importantes.
Preservo muito minha liberdade. De maneira saudável! Sem neuras!
Entendi que tenho limites tanto quanto qualquer ser humano normal.
Não nasci com super poderes.
Não sou nenhuma extra terrestre.
O poder de decisão, para muitas questões, não está ou estará em minhas mãos.
É, começou assim minha lição.
Aprendi que tenho que aprender a ter paciência.
Aprendi que tenho que aprender a não ser tão ansiosa.
Aprendi que tenho que aprender a ouvir-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a sentir-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a ser mais eu mesma.
Aprendi que tenho que aprender a respeitar-me mais.
Aprendi que tenho que aprender a amar o que sou.
Aprendi que tenho que aprender a entender o que sou.
Aprendi que tenho que aprender a não esperar nada de ninguém.
Aprendi que tenho que aprender a querer com mais empenho.
Aprendi que tenho que aprender a entender que não sou perfeita.
Aprendi que tenho que aprender a pedir ajuda.
Aprendi que tenho que aprender a r e l a x a r.
Aprendi que tenho que aprender a encontrar a serenidade.
Aprendi que tenho que aprender a encontrar a paz em mim mesma.
Aprendi que tenho que aprender a V I V E R!
Assim aprendi que sou normal!
Já sei de muita coisa, nossa! rsrsrs
Percebo agora que as amarras que eu sentia, eu mesma as tinha colocado.
Estou ainda com algumas, sem dúvida!
Só que agora que eu descobri isso, o meu trabalho de retirá-las ficará um pouco mais fácil.
Ah! Agora minhas águas correm mais soltas, não estão represadas mais.
Aos poucos (com paciência e serenidade que aprenderei a ter) minhas águas não mais serão tão agitadas.
E para isso eu pedirei ajuda!
Farei tudo isso sim, porque quero muito VIVER para APRENDER!

“Viver requer coragem então, viva para ser feliz e não viva em vão!” (Chorão)

3 comentários:

Blog da Cris disse...

Querida Drica! Somente agora pude ver seu blog, amiga, tive dificuldades para conseguir postar, nem sei se essa mensagem chegará a você, minha guerreira. Aprender, Nem Imaginava, Por que complicamos tudo (INSS)... Temos tantas coisas em comum, que fico sem palavras a acrescentar. Ideogramas lindos, palavras fortes, como aprender a ter paciência, ansiedade, impor limites ao nosso corpo, necessidade de frear, cuidar dele. Amiga, que trabalho lindo que iniciaste em prol das fibromiálgicas, adorei, ótima idéias, já sabes que essa é apenas uma das suas inúmeras missões.
Gostaria de apertar o pescoço desse perito que te machucou, e o pior é que escou com um amigo, andando de muletas, fazendo uso de morfina brava, e... recebeu ALTA1 É ruim, heim amiga, tipo Fibro o quê? Falastes muito bem sobre "querer é poder", será? Querer é se empenhar... Amiga, tá difícil, já nem reconheço meus verdadeiros sentimentos,meus sonhos e projetos, até consegui abrir a U.T.I. hoje, como comunidade, tenho várias caminhos em aberto para percorrer, estou com tantas dores, tão deprê, mas escuto uma voz me dizendo: vai,você consegue, devagar, mas consegue... Então, sigo essa voizinha todos os dias, cambaleando mas vivendo, tentando não me perder com os pensamentos em coisas que não valem a pena e que só me machuca e me deixa sem forças. Realmente, precisamos aprender onde gastar nossas poucas energias, senão tropeçamos em coisas e palavras tão irrelevantes, tão desprezíveis, mas não é que acabamos caindo nessa? Precisamos aumentar a nossa percepção, cuidar de nossa energia como uma pedra muito preciosa, onde devemos usá-las apenas em ocasiões bem especiais. Drica, você não está me surpreendendo, sabia que ia dar certo, pra você e pra todos nós da telinha, enriquecestes esse espaço do tamanho de um mundo, percebo que escreves sem medo, isso é muito importante, ser verdadeira, honesta, clara, sem medo de ser feliz, amiga. Sinto orgulho de fazer parte de seu círculo de amizades, não é pra qualquer um. Nossas lutas e pensamentos são comuns, semelhantes, isso é fantástico, ainda bem que não te ignorei, se assim o tivesse feito não saberia o que você poeta e realista, pensaria e escreveria. Amiga, te amo demais da conta, não pare, se você parar eu choro, e se eu chorar.... minhas dores vão aumentar!!!

elena disse...

Ola Sandra, consegui chegar até vc através do blog. Li suas angústias e percebi seu caminhar na busca de sua cura, ou pelo menos na tentativa de poder viver dignamente. Não desista mesmo, essa bandeira precisa continuar de pé, e consequentemente hasteada bem aos olhos de quem finge não vê-la. Tenha em mim uma aliada para esta luta, creio que guerreira como és, muitas pedras irás encontrar, mas com vontade e força, todas vc tirará do seu caminho.
Entre nós querida, existe, por incapacidade de muitos, muitas lacunas que dilaceram e traçam vertentes que deixam rastros de infortúnios. Mas mesmo assim Sandra, precisamos confiar nas linhas gerais que determinam nossa existência. Somos "essência divina" e não simplesmente pontos na coexistência do simbólico,somos sim, a simplicidade sobre as gdes questôes, mas nossa condição de "humano", nos fortalece e multiplica nossa vontade de vencer.
É neste ponto Sandra, que nos tornamos diferentes de muitos outros, que afastando dessa condição citada, passa a agir na contra-mão da vida tentando nos tirar a sensibilidade e a condição de humano. Não deixe isto acontecer, continue guerreira e me faça tão forte quanto vc, pois admiro sua altivez.Adoro-te e respeito-a deveras...rs....Muitos beijos e parabéns pelo seu trabalho virtual.

Blog da Cris disse...

Olá, amiga, até que enfim consegui entrar no teu ou nosso blog, já que você tão generosa nos deixa adentrar esse espaço tão querido.
Sabes, não sei se já tinho lido esse tema "Aprender", mas lí como se não o tivesse visto antes, adorei, me encontrei dentro de seus problemas, lutas consigo mesma, tantas coisas em comum, amiga, incrível, não? Quando falas da "freada" concordo contigo, pois também vivia de forma ilimitada, sem tempo para a Cris, e o tempo foi indo, o corpo começou a reclamar, aí vem a "o corpo reclama da desatenção a ele", então é claro que teríamos que parar de alguma maneira, pelo menos sabemos que muitos dos nossos problemas vieram principalmente desse fator, amiga, tudo a ver. E enfim, "aprender que somos normais" e não super mulheres, poderosas ao ponto de passar por cima de nós mesmas, tens razão, e ainda acredito em mais, Drica, muitas das amigas com depressão e fibromialgia já declararam esse fator em especial, "tipo esqueci de mim"!
Mas, ainda temos muito a aprender, Graças a Deus, porque se acreditarmos que já sabemos de um tudo, é melhor não mais viver. Amiga, adorei, talvez eu já tenha até lido, postado, não sei, o que importa é o que está acontecendo "hoje", o ontem e o amanhã, deixa para depois... Te amo, continue na tela, está fazendo bem pra tí e para muitos, não tenho dúvidas!!!

Ocorreu um erro neste gadget